Junho e Julho/2014 – Futebol

Para estes dois meses, a seção Livros à Mão traz livros relacionados ao universo do futebol como sugestões de leitura disponíveis para empréstimo na Biblioteca do CCSP.

À sombra das chuteiras imortais
autor: Nelson Rodrigues
À sombra das chuteiras imortais, a primeira coletânea das crônicas esportivas de Nelson Rodrigues, reúne setenta textos que o escritor publicou na extinta revista Manchete Esportiva e no jornal O Globo entre 1955 e 1970. Elas cobrem o período mais rico e fascinante do futebol brasileiro – da derrota do Brasil para o Uruguai, na final da Copa de 1950, em pleno Maracanã, à conquista definitiva do tricampeonato no México, em 1970, passando pelas emoções que transformaram a ideia que o brasileiro fazia de si mesmo.

Estrela solitária: um brasileiro chamado Garrincha
autor: Ruy Castro
Estrela Solitária – Um brasileiro chamado Garrincha conta a dramática história de um ídolo, amado por uma mulher e por um povo inteiro, mas que acabou destruído por um inimigo implacável. Esta é mais que uma espantosa biografia. É um livro cheio de revelações até para os que julgavam conhecer Garrincha. Para os brasileiros de hoje, que só conhecem o mito, Estrela solitária será lido como um romance de paixão e desventura, tendo como cenário o Rio e o Brasil dos anos 1950 e 1960. Só que os personagens e os fatos são reais. Para descrever essa trajetória, Ruy Castro fez mais de 500 entrevistas com 170 pessoas. Garrincha renasce em Estrela solitária como herói – um herói tragicamente humano.

Nunca houve um homem como Heleno
autor: Marcos Eduardo Neves
Foram 39 anos de vida, 305 jogos como profissional e 251 gols. Heleno de Freitas era um turbilhão dentro dos campos – o grande ídolo do Botafogo na era pré-Garrincha, tendo jogado também por Fluminense, Vasco da Gama, Boca Juniors e pela Seleção Brasileira. Fora do gramado era um sedutor irresistível. De um amigo ganhou o apelido Gilda, que remetia à personagem de Rita Hayworth no filme homônimo de Charles Vidor: linda, glamorosa e temperamental. O jogador teve uma vida intensa. Ídolo nos gramados e frequentador da alta sociedade carioca, era boêmio, perfeccionista, impulsivo e viciado em lança-perfume e éter. No fim da vida, consumido pela sífilis, foi internado em um hospital psiquiátrico em Barbacena, Minas Gerais. Morreu, em 1959, em um sanatório, considerado louco.

De Edson a Pelé: a infância do rei em Bauru
autor: Luiz Carlos Cordeiro
Este livro do jornalista bauruense Luiz Carlos Cordeiro vem preencher a lacuna de como foram os primeiros passos de Pelé, o Dico, dentro dos campos de futebol, sejam os oficiais, de várzea, de rua ou em terrenos baldios. Como era o menino, na cidade de Bauru? Luiz Carlos testemunhou boa parte do que conta e convive com quem dividiu os primeiros momentos de uma história única no esporte mundial.

O sapo de Arubinha
autores: Mario Rodrigues Filho, Ruy Castro
Nas crônicas de O sapo de Arubinha, a história do Brasil da primeira metade do século 20 se passa entre as quatro linhas de um campo de futebol. As defesas de Jaguaré; as bicicletas de Leônidas; os dribles de Garrincha; o gol de Heleno de Freitas levando a bola no peito até a meta; Domingos da Guia chamando o time adversário para tomar-lhe a bola dentro da sua pequena área. O futebol visto como um romance, em que craques, cartolas e torcedores interpretam papéis apaixonados. Mario Filho fala de jogadores que nunca vimos jogar e imediatamente nos tornamos íntimos deles. É como se estivéssemos à beira do gramado, ouvindo bater seus corações.

Foto: João Mussolin

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *