Janeiro/2014 – Férias

Para o mês de janeiro, indicamos leituras de férias. Todos os livros indicados estão disponíveis para empréstimo na Biblioteca Sérgio Milliet do CCSP.

 

Todos nós adorávamos caubóis
autora: Carol Bensimon
Cora e Julia não se falam há alguns anos. A intensa relação do tempo da faculdade acabou de uma maneira estranha, com a partida repentina de Julia para Montreal. Cora, pouco depois, matricula-se em um curso de moda em Paris. Em uma noite de inverno, no Hemisfério Norte, as duas retomam contato e decidem se reencontrar em sua terra natal.

 

A filha das flores
autora:
Giza cresceu Vanessa da Mataà beira de uma estrada que liga o Norte e o Sul do País. Sua geografia familiar, no entanto, pouco ultrapassa os limites da casa de infância, onde foi criada em meio às plantações de flores. Os buquês e arranjos que lá eram preparados abasteciam toda a região, aproximando Giza de um universo de gente que ama.

 

As miniaturas
autora: Andrea Del Fuego
Num prédio que pode ou não existir, as pessoas se acumulam em um vasto saguão, na fila, à espera de um elevador, no Edifício Midoro Filho, um marco imponente no centro da cidade. Conforme se espalham pelos corredores, funcionários e visitantes ocupam as salas burocraticamente decoradas dos oneiros. Cada oneiro atende sempre as mesmas pessoas. Elas não podem se conhecer, tampouco manter algum parentesco. Mas o sistema não é infalível, e, naquela manhã, um oneiro percebe que o rapaz diante de si é filho de uma de suas clientes.

 

Aos 7 e aos 40
autor: João Anzanello Carrascoza
Aos 7 e aos 40 é a história de uma vida contada em dois tempos, infância e meia-idade, de maneira a sublinhar a distância irrecuperável, aberta pela passagem de cada dia, entre o que fomos e aquilo que nos tornamos. Marca dos belos livros de contos escritos pelo autor, esse tempo elegíaco, em que a aparição e o desaparecimento (vida e morte) se confundem a todo instante, ganha uma força nova por meio da estrutura narrativa engenhosa deste seu primeiro romance.

 

Eu sou malala
autora: Malala Yousafzal
Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou por seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou com a vida. Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro de um ônibus, quando voltava da escola.

 

Os 500
autor: Matthew Quirk
Ainda não muito conhecido no meio literário, Matthew Quirk chegou impressionando os leitores e o mercado editorial. Com seu primeiro romance, Os 500, já conseguiu milhares de fãs, uma adaptação da história para o cinema — que será feita pela 20th Century Fox —, um prêmio de melhor thriller estreante (Black Ribbon Award), além de indicações a outros prêmios.

 

E nós cobrimos seus olhos
autor: Alaa al Aswany
A história da publicação deste livro é atribulada e indica o teor explosivo da ficção de Alaa Al Aswany. No final da década de 1980, ao terminar de escrever a novela que abre esta coletânea, O caderno de Issam Abdulâti, o autor procurou a Organização Geral Egípcia do Livro com intenção de publicá-la, mas a obra foi recusada por ser considerada ofensiva ao Egito. O autor tentou convencer o funcionário da organização de que as opiniões expressas no texto eram do personagem e não suas, mas teve de escrever uma nota de repúdio às ideias contidas na novela. Outro funcionário propôs cortar os dois capítulos iniciais do texto. Indignado, Aswany decidiu bancar ele mesmo a publicação da narrativa, à qual adicionou os dezesseis contos que compõem este livro.

 

Foto: João Mussolin

Tags:, , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *