Mário Total

O Centro Cultural programa para o mês de agosto de 2018 atividades especiais em comemoração aos 80 anos da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade (1938-2018), com exposição do acervo do CCSP, debates e apresentações musicais.

EXPOSIÇÃO

Na rota da Missão: 80 anos da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade
de 22/8 a 12/12/2018
Exposição comemorativa dos 80 anos da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade. Em 1938, à frente do Departamento de Cultura de São Paulo, Mário de Andrade idealizou e organizou uma expedição pelo Norte e Nordeste do País com o objetivo de investigar e documentar aspectos formadores de uma possível identidade nacional. Uma equipe de pesquisadores, integrada por Luís Saia, Martin Braunwieser, Benedicto Pacheco e Antônio Ladeira, registrou as manifestações populares em cidades de Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão e Pará. Na bagagem trouxeram instrumentos musicais, objetos de culto, anotações de campo, registros musicais, fílmicos e fotográficos que constituem a coleção da Missão de Pesquisas do Acervo Histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga do Centro Cultural São Paulo. A exposição Na rota da Missão – 80 anos da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade é organizada de maneira topológica seguindo a ordem do percurso da expedição, passando por Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão e Pará, apresentando algumas expressões populares registradas em 1938, como os rituais de Xangô e a dança dos Pankararu, em Pernambuco; o coco e os Reis do Congo, na Paraíba; Tambor de Mina e Tambor de Crioula, no Maranhão; Bumba-meu-boi, no Pará; e outros.
curadora: Maria Adelaide Pontes – curador-consultor: Alberto Ikeda

abertura da exposição: dia 22/8, quarta, às 18h
terça a sexta, das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h – livre – Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

 

MÚSICA

Palestra-Vivência musical, com Alberto Ikeda: A Missão de Pesquisas Folclóricas – Princípios e desdobramentos
dia 22/8/2018, quarta, às 20h
Sala Tarsila do Amaral

Palestra e demonstração musical com Rodrigo Caçapa
dia 23/8/2018, quinta, às 20h
Sala Adoniran Barbosa

Cortejo e apresentação da Congada de Santa Ifigênia, de Mogi das Cruzes
dia 24/8/2018, sexta, às 19h
Corredor da Dança e Sala Adoniran Barbosa

Elo da Corrente
dia 25/8/2018
O grupo de rap revisita a obra que compôs há dez anos usando como base o material sonoro registrado por Mário de Andrade em suas Missões.
sábado, às 19h – Sala Adoniran Barbosa

Iara Rennó
dia 26/8/2018
A cantora e compositora paulistana recria a ópera que compôs inspirada na obra mais importante de Mário de Andrade: Macunaíma.
domingo, às 18h – Sala Adoniran Barbosa

grátis – a bilheteria será aberta duas horas antes do início de cada apresentação para a retirada de ingressos, que não estarão disponíveis na internet – cada pessoa poderá retirar um par

 

DEBATE

Mesa de debates com José Saia Neto, José Eduardo Azevedo e Vera Cardim
dia 23/8/2018, quinta, às 18h
Espaço Mário Chamie (Praça das Bibliotecas)
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

 

AÇÃO CULTURAL

Oficina Caçando sons + Programa de rádio Etnografias paulistanas: Missão de Pesquisas Folclóricas 2018 (80 anos depois)
de 20/9 a 11/10/2018
com: Marta Fonterrada – Mestra em Políticas Públicas pela Universidade de Mogi das Cruzes (2014). Graduada em Radio e TV pela Fundação Armando Álvares Penteado (1992). Desde 2013 trabalha no Centro Cultural São Paulo, na Divisão de Informação e Comunicação (até setembro de 2016) e na Supervisão de Ação Cultural (até o momento)
Biancamaria Binazzi – Radialista e produtora cultural, mestranda no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP), é uma das idealizadoras do projeto Goma-Laca dedicado à pesquisa, difusão e criação a partir da música brasileira registrada nos antigos discos de 78 rotações. Especializada em rádio-documentários pela BBC Academy, também atuou na Rádio Cultura FM, Cultura Brasil, Rádio USP (Pesquisa FAPESP) e na Webradio do Centro Cultural São Paulo.

A partir do espírito marioandradeano, partiremos por bairros paulistanos para captar manifestações musicais e culturais de diferentes povos que aqui habitam (migrantes e imigrantes).
Para a coleta do material que será editado no programa de rádio será realizada a oficina radiofônica Caçando sons, na qual os participantes (público em geral interessado em participar da atividade) serão contextualizados e instrumentalizados para cobrirem algumas regiões da cidade. Nas regiões serão feitos registros musicais, entrevistas e gravação de textos com sotaques (inspirado no arquivo da palavra de Mário de Andrade).

dia 20/9 – 1ª aula – Contextualização histórica da Missão e da Rádio Escola.
dia 27/9 – 2ª aula – Instrumentalização para gravação de campo (áudios/fotos/entrevistas). Roteiro das perguntas, autorização dos depoentes, cuidados para a captação).
dia 4/10 – 3ª aula – Saída para gravação. Locais predeterminados pelos grupos.
dia 11/10 – 4ª aula – Saída para gravação. Locais predeterminados pelos grupos.

quintas-feiras, das 14h às 17h – Sala Leon Hirszman (20 vagas)
inscrições: de 3 a 16/9, por meio do preenchimento de formulário

*Os participantes deverão trazer seus aparelhos celulares e fones de ouvido.

*Os materiais gravados nos celulares dos participantes serão compartilhados em grupo de WhatsApp e posteriormente editados pelas radialistas e oficineiras Biancamaria Binazzi e Marta Fonterrada, gerando um programa de rádio.

 

Rádio Escola – A Missão de Pesquisas Folclóricas
setembro a dezembro de 2018
Programas/transmissões radiofônicas realizadas em frente à Sala Tarsila do Amaral. Mesas com dois convidados + mediador para tratar de temas relacionados à Missão de Pesquisas Folclóricas de 1938, seus desdobramentos e atualidades.

O Método Etnográfico – O que mudou em 80 anos na relação entre a antropologia e as culturas tradicionais
dia 5/9/2018
com: Mestre Alcides de Lima – Alcides de Lima é conhecido e respeitado mestre de Capoeira e Griô da Tradição Oral pelo Projeto Ação Griô. Atua como coordenador do Ponto de Cultura Amorim Rima/CEACA e do Projeto “Expresse-se com consciência – Faça capoeira”, também é representante nacional da comissão de mestres da Tradição Oral.
Rafael Vitor Sousa – Possui graduação em História na Universidade de São Paulo (2009) e mestrado em Filosofia pelo Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (2016). Durante o mestrado dedicou-se ao estudo do Concurso Mário de Andrade de Monografias sobre o Folclore Nacional (1946-1975), certame instituído anualmente pelo Departamento de Cultura de São Paulo (1935-1975), sob a coordenação da musicóloga Oneyda Alvarenga, com o fito de fomentar estudos sobre a cultura popular brasileira.
Wilma Oliveira (mediação) – Bacharel em Ciências Sociais e Política (1995) pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Desde 2010, é coordenadora do Acervo Histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga (do qual faz parte a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas). Palestrante da mesa Repatriação Digital do Acervo do CCSP. Projeto Repatriação Digital do acervo afro-pernambucano sob a guarda do Centro Cultural São Paulo.

quarta, das 14h às 15h30 – Piso Caio Graco, em frente à Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

Os povos indígenas em São Paulo hoje
dia 19/9/2018
com: Jaci Martins Guarani – Liderança indígena das aldeias Jaraguá, é também agente comunitária de saúde, formada em Ciências Sociais na PUC-SP. A região do Jaraguá é considerada a menor terra indígena do Brasil. Em 2015, a aldeia Tekoa Itakupe, uma das três localizadas próximo ao Parque Estadual do Jaraguá passou por um processo de reintegração de posse recentemente.
Patrícia Rodrigues (Pagu) – Cientista Social, formada na Universidade de São Paulo, é atualmente assessora parlamentar, educadora e professora na aldeia indígena Fulni-ô.
Ana Beatriz de Oliveira Souza (mediação) – Formada em Gestão de Políticas Públicas na Universidade de São Paulo, atualmente mestranda em Políticas Públicas pela UFABC, realiza e trabalha com projetos culturais, integrou o Núcleo de Fomentos Culturais e faz parte da equipe da Supervisão de Ação Cultural do Centro Cultural São Paulo.

quarta, das 14h às 15h30 – Piso Caio Graco, em frente à Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

Mário de Andrade e a comunicação – o projeto da Rádio Escola
dia 5/10/2018
com: Marcel Souza – Historiador, professor da Universidade do Vale do Itajaí; doutor em Artes (2016) pelo Programa de Pós-graduação em Música da Escola de Comunicação e de Artes da Universidade de São Paulo, Mestre em Música (2012) pelo Programa de Pós-graduação em música da Universidade de Santa Catarina.
Biancamaria Binazzi – Radialista e produtora cultural, mestranda no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP), é uma das idealizadoras do projeto Goma-Laca dedicado à pesquisa, difusão e criação a partir da música brasileira registrada nos antigos discos de 78 rotações. Especializada em rádio-documentários pela BBC Academy, também atuou na Rádio Cultura FM, Cultura Brasil, Rádio USP (Pesquisa FAPESP) e na Webradio do Centro Cultural São Paulo.
Marta Fonterrada (mediação) – Mestra em Políticas Públicas pela Universidade de Mogi das Cruzes (2014). Graduada em Radio e TV pela Fundação Armando Álvares Penteado (1992). Desde 2013 trabalha no Centro Cultural São Paulo, na Divisão de Informação e Comunicação (até setembro de 2016) e na Supervisão de Ação Cultural (até o momento).

sexta, das 14h às 15h30 – Piso Caio Graco, em frente à Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

Conversa com o grupo A Barca + Show (programa de rádio no formato da Rádio Tatu)
dia 27/11/2018
com: A Barca – grupo criado em 1998, trabalham com a pesquisa e a movimentação das culturas populares brasileiras, realizando espetáculos, documentação, arte-educação e produção cultural, e partem da reflexão sobre o fazer artístico e suas responsabilidades estéticas e sociais. A Barca viajou pelo interior do Brasil aprendendo, registrando e tocando a música popular. Em suas andanças, A Barca foi criando parcerias com artistas e produtores locais, dando oficinas de música, registro e produção, assim como se apresentando junto aos artistas populares de diversas partes do país. O resultado disso é um processo criativo que tem como base um amplo repertório de música tradicional brasileira, a maior parte recolhido in loco. A Barca faz das tradições brasileiras o alimento deste processo antropofágico que, não por acaso, tem referência em Mário de Andrade e suas missões de pesquisa folclórica. Com: Andre Magalhães (percussão), Ari Colares (percussão), Chico Saraiva (violão), Laeticia Madsen (voz), Lincoln Antonio (piano e pífano), Marcelo Pretto (voz), Renata Amaral (baixo).
Marta Fonterrada (mediação)

terça, às 20h – Sala Jardel Filho
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

Intolerância religiosa – a perseguição aos cultos afro-brasileiros ontem e hoje
dia 29/11/2018
com: Vagner Gonçalves da Silva – Antropólogo (USP) – Desenvolve pesquisas na área das populações afro-brasileiras, enfocando temas como religiosidade (candomblé, umbanda, neopentecostalismo, intolerância religiosa), relações entre religião e cultura brasileira (festas populares, música, capoeira, literatura, cinema, etc.), artes afro-brasileiras e representação etnográfica (trabalho de campo e etnografia em hipermídia).
Yalorixá Cláudia de Oya – Fundadora do Ilê Adé Oju Oya e militante da Marcha das Mulheres Negras. Possui um terreiro em Guaianases que foi invadido recentemente em um ato de intolerância religiosa.
Alberto Ikeda (mediação) – Professor do Instituto de Artes (aposentado, 2014) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP – S. Paulo), das disciplinas Etnomusicologia, Cultura Popular e Seminários de Pesquisa em Música (Pós-Graduação). Professor-colaborador, corresponsável da Disciplina Metodologia da Pesquisa em Música – PPGM-ECA-USP (2014, 2015, 2016, 2017).

quinta, das 14h às 15h30 – Piso Caio Graco, em frente à Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

História e concepção da Missão de Pesquisas Folclóricas
dia 12/12/2018
com: Flavia Toni – Mestra (1985) e doutora (1989) em Artes, é livre-docente (2004) e professora titular (2009) da Universidade de São Paulo. Pesquisadora no Instituto de Estudos Brasileiros, onde foi presidente e coordenadora do Programa Culturas e Identidades Brasileiras entre 2010 e 2014.
Alberto Ikeda (curador-consultor da exposição Na rota da Missão: 80 anos da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade)
Vera Cardim (mediação) – Socióloga da Prefeitura do Município de São Paulo, respondeu pelo acervo histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga de 2004 a 2009, pelo acervo do Pavilhão das Culturas Brasileiras de 2010 a 2013, atualmente coordena o Núcleo de Cidadania Cultural da Secretaria Municipal de Cultura.

quarta, das 14h às 15h30 – Piso Caio Graco, em frente à Sala Tarsila do Amaral
grátis – sem necessidade de inscrição nem retirada de ingressos

Ilustração de capa: Beatriz Simões