Leia Mulheres – Clube de Leitura


Detalhes do Evento


Leia Mulheres é um coletivo cujo projeto é estimular a leitura, o debate e a divulgação de livros escritos por mulheres, a partir da organização de clubes de leitura e de eventos sobre literatura em livrarias, centros culturais e bibliotecas.
organizadoras do projeto: Juliana Gomes, Juliana Leuenroth e Michelle Henriques

dia 25/8
Leia Mulheres – Clube de Leitura selecionou o livro O Deus das pequenas coisas, da escritora indiana Arundhati Roy. Neste seu primeiro livro, a autora foi considerada um novo fenômeno da literatura ao ganhar o prêmio britânico Booker Prize de 1997 e ter seu livro traduzido em 18 países. Sua história começa no estado de Kerala, no Sul da Índia, onde coabitam cristianismo, hinduísmo, islamismo e marxismo. Ali, em 1969, na estrada para Cotchim, um Plymouth azul fica retido no meio de uma manifestação de trabalhadores. No carro estão os gêmeos Rahel e Estha, sete anos – e assim começa sua história.
com: Geruza Zelnys (escritora, professora de literatura e pesquisadora com doutorado em teoria literária)

sábados, às 16h – 120min – livre – Gibiteca Henfil
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos

ENCONTROS ANTERIORES

dia 21/7/2018
Com encontros mensais o Leia Mulheres de julho fará uma discussão sobre o livro Júbilo, memória, noviciado da paixão, da escritora Hilda Hilst, homenageada da Flip 2018 . O livro foi lançado pela primeira vez no ano de 1974 e é o primeiro volume de poesia depois de sua estreia na ficção.
com: Geruza Zelnys (escritora, professora de literatura e pesquisadora com doutorado em teoria literária)

dia 30/6/2018
Com encontros mensais no último sábado de cada mês, o Leia Mulheres consolida sua parceria com o CCSP demonstrando enorme sucesso na qualidade de suas programações, bem como uma crescente participação do público. No mês de junho, o livro escolhido pelo coletivo para a discussão é Ponciá Vicêncio, de Conceição Evaristo.

dia 26/5/2018
Leia Mulheres selecionou para o Clube de Leitura o livro Distância de resgate, da escritora argentina Samantha Schweblin, vencedora do Prêmio Casa de las Américas de 2008 com seu livro de contos Pájaros en la boca. O campo se transformou diante de nossos olhos sem que ninguém percebesse. Talvez não se trate de estiagens ou de herbicidas – e sim do fio vital e afiado que nos prende a nossos filhos, e do veneno que lançamos sobre eles. Nada é clichê quando, afinal, acontece. Distância de resgate acompanha esta fatalidade vertiginosa fazendo sempre as mesmas perguntas: Existe por acaso algum apocalipse que não seja pessoal? Qual é o ponto exato em que, sem saber, damos o passo em falso que acaba nos condenando?

dia 21/4/2018
Em abril, o Leia Mulheres – Clube de Leitura debaterá sobre o livro Fazes-me falta, da escritora portuguesa Inês Pedrosa. Trata-se de uma crônica da relação intensa de um homem e uma mulher unidos por um sentimento entre amizade e paixão – separados pela morte precoce dela. Quem conta a história são os próprios personagens. Cabe a ela, já morta, iniciar um diálogo com ele, desamparado, em estranha viuvez.

dia 24/3/2018 
Em março, o Leia Mulheres – Clube de Leitura debaterá sobre o livro Um útero é do tamanho de um punho, de Angélica Freitas. Uma das vozes mais destacadas de sua geração, a autora subverte as imagens absolutamente gastas do que se espera do gênero feminino e joga luz – com inteligência, sagacidade e senso de humor aguçado – sobre o nosso tempo.

dia 24/2/2018
Leia Mulheres – Clube de Leitura discutirá o livro Kindred: laços de sangue, de Octavia Butler, recém-traduzido e lançado pela Editora Morro Branco. Conhecida como a Grande Dama da Ficção Científica, a autora nasceu na Califórnia, em 1947. Ao longo de sua carreira foi laureada com o MacArthur Fellowship, Hugo, Nebula e Locus Awards. Representava em seus livros heroínas negras e explorava temas como raça, empoderamento feminino, divisão de classe, sexualidade e escravidão. Sua obra continua tão relevante que ainda hoje é objeto de estudo.

dia 27/1/2018 
Leia Mulheres – Clube de Leitura inicia sua programação de 2018 com o livro Lady Susan, da autora inglesa Jane Austen. É a história da bela viúva Lady Susan Vernon, que busca um novo e vantajoso matrimônio para si, ao mesmo tempo que tenta arranjar um casamento para sua filha com um homem rico e tolo.

dia 25/11/2017
O Leia Mulheres destaca o livro Desconstruindo Una (Becoming/Unbecoming), um quadrinho da autora Una, que explora o que significa ser uma garota crescendo na atmosfera de constrangimento, misoginia, violência e silêncio de West Yorkshire, entre 1975 e 1981. Com uma retrospectiva de sua vida, Una explora sua experiência e se pergunta se algo realmente mudou, desafiando a cultura que exige que as vítimas de violência paguem por ela.

dia 28/10/2017
Em outubro, mês do Halloween, o Leia Mulheres traz o livro de terror Sempre vivemos no castelo, de Shirley Jackson, autora estadunidense. A obra conduz o leitor a um labirinto sombrio de medo e suspense, um livro perturbador e perverso, em que o isolamento e a neurose são trabalhados com maestria.

dia 30/9/2017
No mês de setembro, o Leia Mulheres – Clube de Leitura será o livro Tempo de boas preces, romance de estreia da autora sino-estadunidense Yiyun Li. São dez narrativas que poderiam se passar em qualquer outra parte do mundo, mas que, ao serem transportadas para a China comunista, adquirem formas e significados completamente imprevistos.

dia 26/8/2017
Em agosto, o Leia Mulheres – Clube de Leitura aborda o livro Heroínas Negras Brasileiras em 15 Cordéis, contando com a presença da autora, Jarid Arraes. Desde 2012, a escritora tem se dedicado a desvendar as trajetórias das mulheres negras que fizeram a História do Brasil. Para torná-las acessíveis e fazer com que suas vozes fossem ouvidas, Jarid usou a linguagem poética tipicamente brasileira da literatura de cordel.

dia 22/7/2017
Em julho, o Clube de Leitura destaca o livro O país das mulheres, da autora Gioconda Belli, poetisa e romancista nicaraguense. No romance, após sofrer atentado em praça pública, Viviana Sansón, presidenta de Fáguas, um pequeno país latino-americano, acorda na semiobscuridade de um galpão. Ali, resgatando memórias, surge o Partido da Esquerda Erótica e suas integrantes convictas de que o poder exercido pelas mulheres pode conquistar o que em séculos o poder masculino não alcançou. É um romance provocador e divertido.