Biblioteca Pública Municipal Louis Braille

Planejada e equipada para atender pessoas com deficiência visual, reúne cerca de 5.000 títulos, entre livros em braille e audiolivros, além de computadores e scanners com programas específicos para a acessibilidade dos frequentadores. O acervo inclui obras didáticas e paradidáticas para alunos do ensino fundamental, médio e universitário, literatura infantojuvenil, obras de ficção, com clássicos da literatura brasileira e portuguesa e periódicos falados. A Louis Braille também atua como editora, produzindo livros em braille e audiolivros.

Empréstimos
Os empréstimos são feitos para os inscritos na Biblioteca pessoalmente ou por meio de parceria com os Correios, que envia o material solicitado para qualquer cidade do Brasil. Para isso, é necessário que o deficiente visual seja cadastrado na Biblioteca e resida fora da cidade de São Paulo. A solicitação deve ser feita por telefone ou e-mail.

Histórico
A Biblioteca Braille (nomeada Biblioteca Louis Braille desde 2009) foi idealizada por Dorina Nowill e viabilizada, em 1947, por Lenyra Fraccarolli, que na época era diretora da Biblioteca Infantil (atual Biblioteca Infanto-Juvenil Monteiro Lobato). No início, destinava-se especialmente ao público infantil, possibilitando, pela primeira vez no país, o acesso de crianças cegas a uma biblioteca. Com o sucesso da iniciativa e a demanda crescente, as atividades de transcrição aumentaram e se diversificaram, passando a incluir obras literárias e didáticas.

Em 1986, a Braille foi transferida para o Centro Cultural São Paulo, principalmente porque a nova localização garantiria mais acessibilidade aos usuários. Além da leitura, a Biblioteca oferecia às crianças diversas atividades de integração e vivência artísticas, como teatro, dança e música.

A partir de 2003, a Braille passou a oferecer também acesso à Internet por meio do projeto Abrindo os olhos, que, em parceria com a IBM, disponibilizou cinco computadores adaptados. Atualmente, oferece Oficina de leitura e escrita em braille, além de outras atividades culturais, recebendo também pesquisadores e estudantes de diversas áreas do conhecimento.

Em 2017, a Biblioteca Louis Braille completa 70 anos de existência, firmando-se como referência no atendimento à pessoa com deficiência visual.

Horário de funcionamento
Terça a sexta, das 10h às 19h
Sábados, das 10h às 18h
Fechada aos domingos, feriados e pontos facultativos
(A entrada é permitida até 30 minutos antes do fechamento)

Contato:
3397-4088
bibliotecabraille@prefeitura.sp.gov.br

Veja também:
Depoimentos da idealizadora da Biblioteca Louis Braille, Dorina Nowill, no espaço virtual dedicado aos 30 anos do CCSP