10 obras de nosso acervo espalhadas pelo CCSP

Além dos trabalhos em exposição nas diversas mostras de nossa programação de artes visuais, várias outras obras mantidas sob os cuidados da Coleção de Arte da Cidade se encontram espalhadas por diferentes espaços do CCSP. Já reparou nelas? Preparamos uma lista com 10 obras de arte que você pode (re)descobrir por aqui.

1) Victor Brecheret – Eva (1920)

Foto: Núcleo de Fotografia do CCSP

 

Localizada na entrada do Piso Caio Graco, uma de nossas áreas expositivas, a escultura em mármore de Victor Brecheret está no CCSP desde 1982, ano de inauguração do prédio projetado pelos arquitetos Eurico Prado Lopes e Luiz Telles, depois de ter passado por locais como o Vale do Anhangabaú e o Gabinete do Prefeito, na época em que este se localizava no Parque do Ibirapuera.

2) Flávio Império – Arara (1985)

Foto: João Silva

 

Quem vem ao Centro Cultural de metrô já deve ter reparado no painel “Arara”, do artista plástico, figurinista e cenógrafo Flávio Império, instalado no lado esquerdo da rampa de acesso ao CCSP. O projeto original do mural feito de pastilhas de vidro foi elaborado em 1981 para uma residência do pai do escritor Milton Hatoum em Manaus. A versão atual é uma montagem criada após a morte de Império em 1985, a partir de registros fotográficos do desenho original do artista. Importante figura da cena cultural paulistana, Flávio Império também dá nome a um dos espaços do CCSP, mais conhecido como Foyer.

3) Ester Grinspum – Do lugar (1997)

Foto: Sossô Parma

 

Na recepção da área administrativa do CCSP está instalada a obra “Do lugar”, de Ester Grinspum, doada pela artista à Coleção de Arte da Cidade em 2004. Entre os estudantes que ocupam as mesas próximas à rampa de acesso ao metrô, é possível reconhecer do lado de fora mesmo dos vidros os enormes cilindros de ferro e grafite de Grinspum.

4) Laura Vinci – Sem título (1999)

Foto: João Silva

 

Do lado 23 de Maio do Jardim Suspenso, além da Horta Comunitária do CCSP, você encontra mais uma obra de nosso acervo. A escultura em mármore de Laura Vinci foi doada pela própria artista e está exposta ao público desde 2004.

5) Iole de Freitas – Sem título (1999)

Foto: João Silva

Já viu algum show, filme ou peça em nossas salas de espetáculo? Quando vier conferir alguma de nossas diversas programações, antes de entrar na sala, volte o olhar para cima: ainda no Foyer, próxima à bilheteria, você verá, suspensa, a escultura em arame da artista mineira Iole de Freitas, uma doação do Gabinete de Arte Raquel Arnaud ao nosso acervo. A obra está aqui desde 2011.

6) Nathalie Joiris – Abstraction d’une historie (2002)

Foto: João Silva

 

Esta é apenas uma das três esculturas em aço da artista belga Nathalie Joiris que estão expostas pelos jardins do Centro Cultural, uma delas no Jardim Eurico Prado Lopes (rampa de acesso ao metrô) e as outras duas, incluindo “Abstraction d’une historie”, no Jardim Suspenso (lado Vergueiro). Segundo a artista, “o trabalho de tensão entre o vegetal vivo e materiais manufaturados pela mão humana serve de metáfora para mencionar e questionar o tema do ser humano nas suas várias relações, complexos e equívocos com ele mesmo, os contextos que ele cria ou que ele experimenta individualmente ou coletivamente”.

7) Amélia Toledo – Memória das águas (2006)

Foto: João Silva

 

Instalada no Jardim Suspenso (lado Vergueiro), “Memória das Águas”, de Amélia Toledo, é uma obra que se tornou um espaço do CCSP. O próprio espaço concebido como obra de arte, servindo, inclusive, como elemento de criação para outras linguagens artísticas. Em 2011, uma das artistas selecionadas pelo Edital Novos Coreógrafos-Novas Criações: Site Specific desenvolveu a coreografia “Em água”, que dialogava justamente com a instalação de Amélia Toledo.

8) Henrique Oliveira – Tronco (2007)

Foto: Sossô Parma

 

Um tronco de árvore na entrada das Bibliotecas surpreende o público que vem estudar, emprestar livros de nosso acervo ou conferir uma das exposições em cartaz. “Tronco”, de Henrique Oliveira, já esteve em outros espaços do Centro Cultural, como o Foyer e a Gibiteca Henfil. A obra produzida com laminados de madeira e PVC é uma doação do artista ao acervo do CCSP e está aqui desde 2008. Recentemente, Oliveira ocupou uma das áreas expositivas do Museu de Arte Contemporânea da USP com Transarquitetônica, instalação de dimensões grandiosas que dialogava com a arquitetura do prédio do MAC.

9) Virginia de Medeiros – Fala dos Confins (2010)

Foto: João Mussolin

 

A Kombi azul e branca de Virginia de Medeiros, atualmente no Foyer, já circulou pelos pisos expositivos do Centro Cultural e é a mais nova das obras de nosso acervo expostas ao público. Com esta vídeo-instalação, a artista recebeu o prêmio Rede Nacional Funarte Artes Visuais 2009.

10) Daniel de Paula – aparição (2011)

Foto: Felipe Gonçalvez

 

“Caiu um poste aqui?”. Quem vê pela primeira vez “aparição”, de Daniel de Paula, no Jardim Interno da Área Administrativa pode se fazer esta pergunta. A instalação fez parte da III Mostra do Programa de Exposições 2011 e ocupou o Piso Caio Graco durante três meses, sendo adquirida depois pelo Programa de Exposições do CCSP em sua 21ª edição. À noite, com as lâmpadas acesas, a obra valorizava a arquitetura envidraçada do Centro Cultural.

Tags:, , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *