CCSP WEB

  • Alfredo Volpi Alfredo Volpi Centro Cultural São Paulo - imagem ilustrativa
  • Alfredo Volpi Alfredo Volpi Centro Cultural São Paulo - imagem ilustrativa
  • Alfredo Volpi Alfredo Volpi Centro Cultural São Paulo - imagem ilustrativa
  • Alfredo Volpi Alfredo Volpi Centro Cultural São Paulo - imagem ilustrativa
  • Alfredo Volpi Alfredo Volpi Centro Cultural São Paulo - imagem ilustrativa

Alfredo Volpi - biografia

Nascido na cidade de Lucca, Itália, em 14 de abril de 1896, Alfredo Volpi veio para São Paulo com um ano de idade. Mesmo sendo de origem européia, é considerado um "pintor brasileiro de origem italiana". O artista teve uma atuação notável dentro da segunda parte do movimento artístico modernista.

Volpi construiu sua carreira, ascendeu como pintor e faleceu, em 1988, na capital paulista. Quando jovem, trabalhou como marceneiro-entalhador e encadernador. Iniciou-se como pintor em 1912, sendo autodidata. Suas primeiras pinturas eram de aspecto figurativo e representavam as marinhas executadas em Itanhaém, cidade no interior de São Paulo. Sua primeira investida foi na decoração de murais do Hospital Militar do Ipiranga, em 1918, em parceria com o pintor Alfredo Tarquínio. Quatro anos depois, Volpi começa a pintar sobre tela e madeira.

Em 1935, fez parte do Grupo Santa Helena, junto de Fulvio Pennacchi, Mario Zanini, Manoel Martins, Clóvis Graciano, Humberto Rosa, Francisco Rebolo, Rizzotti, Ernesto de Fiori, Vittorio Gobbis, Rossir Osir e Bonadei. Esteve com esses e outros artistas até 1940. Em 1936, Volpi participou do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo e integrou a Família Artística Paulista, com Rebolo, Bonadei e outros. Nessa época, o pintor também mantinha contato com Emídio de Souza, com quem realizou trabalhos para Rossi Osir, em Osirarte.

Em 1940, Alfredo Volpi foi vencedor de um concurso promovido pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, por conta de seus trabalhos feitos referentes aos monumentos de São Miguel e Embu, cidades que mantêm o aspecto da arte colonial. Essas obras, enfim, acabaram tendo influência de temáticas populares e religiosas. Quatro anos depois, ele realizou sua primeira exposição individual.

Na década de 1950, sua obra evoluiu de figurativismo a abstração geométrica. Três anos depois, foi selecionado como melhor pintor nacional na 2ª Bienal Internacional de Artes de São Paulo, tendo dividido o prêmio com Di Cavalcanti. Em 1954, fez parte da Bienal de Veneza e, em 1956 e 1957, das duas primeiras Exposições Nacionais de Arte Concreta. Volpi aproveitou esta mesma época para manter contato com poetas e artistas do grupo concreto. Em 1958, ganhou o prêmio Guggenheim e em 1962 e 1966, foi consagrado o melhor pintor brasileiro, segundo a crítica de arte do Rio de Janeiro.

Fontes:

endereço eletrônico Itau Cultural
endereço eletrônico Algo Sobre
endereço eletrônico Pintura Brasileira

veja também Mais fotos de Alfredo Volpi estão disponíveis na exposição virtual Idart 30 anos.

     
     
ícone facebook
ícone twitter
ícone enciar e-mail
ícone imagens
ícone audio
ícone webrádio
ícone vídeo
destaque
ícone saiba mais
ícone veja também
ícone aviso
ícone obs
audiodescricao
libras
ícone download
endereço eletrônico
ícone inscrições abertas
sem necessidade de inscrição
ícone inscrições encerradas
selecionados
facebook
twitter
boletim
imagens
áudio
lab.rádio
vídeo
destaque
saiba mais
veja também
aviso
obs
audiodescrição
libras
download
www ou email
oficinas
abertas
oficinas com inscrição
inscrições
encerradas
selecionados
 

Divisão de Informação e Comunicação
Direção: Márcio Yonamine
Coordenação: Juliene Codognotto

Conteúdo online
Álvaro Olintho, Danilo Satou, Márcia Dutra, Vinícius Máximo e Sabrina Haick

Imagens - Núcleo de Fotografia do CCSP
Edição de imagens: Sossô Parma
Fotógrafos: João Mussolin, João Silva e Sossô Parma

Materiais impressos
Projeto gráfico: Adriane Bertini ,Solange Azevedo e Yeda Gonçalves
Edição de textos: Camile Rodrigues Aragão Costa, Danilo Satou e Emi Sakai
Revisão: Paulo Vinicio de Brito

Layout e manutenção
Web design: Edmarcio da Silva

Ateliê sonoro
Mediação: Marta Fonterrada e Rodrigo Taguchi
Coordenação técnica: Eduardo Neves

Narrativas CCSP
Coordenação: Chicão Santos
Captação: Celso Toquetti, Giovanni Belleza, José Amador Martins e Thaís Orchi
Edição: Chicão Santos, Giovanni Belleza e Thaís Orchi

Marcia Dutra
Coordenadora do Site  - 11 3397.4066
Divisão de Informação e Comunicação
Rua Vergueiro 1000   -   CEP 01504-000   tel 3397 4002
Paraíso São Paulo – SP