Seminário CCSP 40: da criação ao tombamento

04/08

  • Quinta-feira, a partir das 9h30
  • Na Sala Jardel Filho
  • Classificação Indicativa: livre
  • Grátis
  • Inscrições pelo formulário 
  • É recomendado o uso de máscara

Em comemoração aos 40 anos do CCSP, e compondo a programação da exposição “CCSP 40: da criação ao tombamento”, o Centro Cultural recebe os “Seminário CCSP 40: da criação ao tombamento”. Durante todo o dia acontecerão cinco mesas temáticas que abordarão diferentes questões e aspectos da instituição, bem como sobre os atores que contribuíram para sua constituição. Confira a programação completa abaixo:

9h30

CREDENCIAMENTO: assinatura de lista de presença e entrega de kit

10h

EXIBIÇÃO DO VÍDEO: CCSP40: Memórias e Horizontes – Arquitetura

10h10

ABERTURA: evento solene de apresentação do seminário e exposição

10h30

MESA 1 – Luiz Telles e Eurico Prado Lopes:  “A construção é o que sobra de uma ideia” 

O primeiro painel visa homenagear o arquiteto Luiz Telles, que junto com Eurico Prado Lopes, criou o projeto do Centro Cultural São Paulo há mais de 40 anos. A proposta é que se possa discutir o projeto e a dissertação de Telles e contar histórias e curiosidades sobre o processo de criação do CCSP. Hoje, Luiz Telles e Eurico Lopes são consagrados pelo conjunto ferro, concreto e vidro, base da concepção de transparências visuais.

Mediador 

FRANCIS MANZONI é pós-graduado em edição de livros, mestre em história pela Unesp e doutor na mesma área pela PUC-SP, com passagem pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, na França. Atuou como assessor da área de literatura e bibliotecas do Sesc São Paulo e, atualmente, é editor nas Edições Sesc. É autor dos livros ‘Mercados e feiras livres em São Paulo: 1867 – 1933’ (Sesc, 2019) e ‘A criação do Centro Cultural São Paulo: 1975 – 1985)’ (Editora Alameda/breve lançamento).

Palestrante

CARLOS AUGUSTO CALIL (1951) é, desde 1987, prof. do Dep. de Cinema, TV e Rádio da ECA/USP. Diretor e presidente da Embrafilme (79-86), diretor da Cinemateca Brasileira (87-92), diretor do CCSP (01-04), e Secretário Municipal de Cultura de São Paulo (05-12). Em 2016 foi curador da exposição “Morada do Coração Perdido”, montada na casa em que viveu Mário de Andrade. É editor / organizador de mais de 30 publicações sobre cinema, iconografia, teatro, história e literatura, dedicados a autores como Mário de Andrade.

Palestrante

MARCOS CARTUM é arquiteto e designer (FAU/USP – 1985) com especialização em Museologia. É autor/co-autor de vários projetos de espaços públicos e culturais na cidade de São Paulo, entre eles a Praça das Artes. Foi professor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (São Carlos). Desde 2019 é diretor do do Museu da Cidade de São Paulo.

11h45

ALMOÇO

13h15

MESA 2 – CCSP: a vocação do espaço

O painel propõe reflexões sobre o uso do espaço estrutural e social, partindo das ideias e propostas de Mário de Andrade e Mário Chamie para o CCSP. respectivamente o primeiro Secretário de Cultura e o Secretário da cidade, que definiram novos rumos à grandiosa criação de Eurico Prado Lopes e Luiz Telles, no que é hoje considerado um “projeto arquitetônico inacabado”, devido a questões políticas da época, porém “à frente do seu tempo”. Propõe ainda reflexão sobre os desafios de se lidar com uma multiplicidade de funções em movimento.

Mediador

EDUARDO PEREIRA GURIAN, é arquiteto e urbanista formado pela FAAP em 2002. Mestre pela UPC/Barcelona em 2007 e Mestre pela FAU-USP em 2014. Realizou trabalhos com Eduardo Colonelli, Paulo Mendes da Rocha, Marcos Acayaba, Coll-Leclerc Arquitectos SLP, Metrópole Arquitetos e Marcio Kogan. Colabora com o escritório SIAA Arquitetos desde 2010, tornando-se sócio em 2013. Atualmente é docente da Escola da Cidade, da FAAP e da FAU – Mackenzie.

Palestrante

CESAR SHUNDI IWAMIZU, arquiteto formado pela FAU-USP em 1999, títulos de Mestre e Doutor obtidos pela mesma instituição em 2008 e 2015, professor de projeto de arquitetura na FAU Mackenzie (desde 2018) e na Escola da Cidade (desde 2005) e sócio fundador do SIAA Arquitetos, escritório premiado nos concursos públicos para os projetos das unidades Sesc Franca e Ribeirão Preto, Estação de Mairinque, Museu Água, entre outros.

Palestrante

FABIO MALAVOGLIA, é poeta, tradutor, gestor de cultura, roteirista, radialista, jornalista e palestrante. Coordenador de programação do Sesc Pompéia na implantação (1982-84). Curador condutor do Projeto Andantes (MAC USP 2018). Prêmio APCA 2019 Melhor Apresentador de Rádio (revista diária de arte RádioMetrópolis Cultura FM). Prêmio MinC – Palmares de Comunicação 2005 (roteiro radiofônico A Lenda de Luiza Mahin). Autor: A História sob a terra (arqueologia da Baixada Santista, 2014)

14h30

MESA 3 – Mário de Andrade: do anteprojeto de preservação à Missão de Pesquisas

Propõe revisitar as propostas de preservação material e imaterial de Mário de Andrade como forma de gerar reflexão e novas perspectivas sobre o cenário da memória e preservação no país.

Mediador 

MATEUS SARTORI, é músico, arquiteto urbanista, turismólogo, gestor cultural e empresário. Cursou Gestão Cultural (Sesc), pós-graduado em Gerente de Cidades (FAAP) e Cultura: Plano e Ação (USP), Foi representante regional na comissão de elaboração do Plano Estadual de Cultura de São Paulo e Fundador e vice-presidente do Conselho Gestor da Associação de Dirigentes Municipais de Cultura. Secretário de Cultura e Turismo de Mogi das Cruzes-SP entre 2013 a 2020, e atualmente de Guararema-SP.

Palestrante

FLÁVIA CAMARGO TONI, é Mestre (1985) e Doutora (1989) em Artes, é livre docente (2004) e professora titular (2009) da Universidade de São Paulo. Pesquisadora no Instituto de Estudos Brasileiros. Pesquisadora do CCSP, processou e descreveu o acervo Missão de Pesquisas Folclóricas (década de 1990), pelo restauro e preservação da Coleção. Na Musicologia tem trabalhado com ênfase nos assuntos da primeira metade do século XX atuando principalmente na literatura musical de Mário de Andrade.

Palestrante

VERA CARDIM, é Doutora em Ciências Sociais e especialista em Museologia. Atuou como socióloga na Prefeitura de São Paulo por 27 anos, sendo parte deles na Secretaria de Cultura: no Núcleo de Cidadania Cultural, no Museu das Culturas Brasileiras – DPH e no Centro Cultural São Paulo. Dentre outros projetos, coordenou a edição do DVD-Cadernetas de Campo da Missão de Pesquisas Folclóricas. Atualmente é Professora Substituta de Sociologia na Universidade Federal da Bahia – UFBA.

15h45

CAFÉ

16h30

MESA 4 – Repensando o CCSP

Propõe refletir sobre as múltiplas possibilidades que um olhar vivo e constantemente novo pode trazer para o cotidiano dos frequentadores e do CCSP como um espaço livre e propositivo. Além dos palestrantes previstos, a proposta inclui a participação de estudantes de arquitetura através de  apresentação em tela trabalhos a serem selecionados que refletiram sobre novas perspectivas para o espaço e construíram projetos interessantes.

Mediador 

RAMON SOARES é Supervisor da Ação Cultural do Centro Cultural São Paulo. Jovem de ascendência indígena e vodunsi do culto do Tambor de Mina, estudou dança, design e pedagogia. Nasceu e cresceu na Brasilândia (zona norte da capital). Na educação atuou como Assessor Pedagógico, Assistente de Coordenação Escolar e Educador. Na cultura, atuou como Jovem Monitor Cultural, Assistente de Curadoria e Supervisor de Curadorias até ser convidado para assumir o atual cargo em janeiro de 2021.

Palestrante

COLECTIVO BANGA 

BANGA refere-se a um colectivo de cinco arquitetos angolanos que visam promover a cultura e arquitetura angolana. São integrantes do grupo: Kátia Mendes, Yolana Lemos, Gilson Mendes, Elsimar Freitas e Mamona Duca. O colectivo procura com projetos autorais refletir sobre o estado da arquitetura em Angola, e repensar a concepção e morfologia das comunidades, interpretando os sinais da vida cotidiana.

Palestrante

COLETIVO ARQUITETURA ECOLÓGICA

KARINA DUN DER KOCH é arquiteta e urbanista, Especialista em Design para a Sustentabilidade pelo Mackenzie. Com 20 anos de experiência na arquitetura e construção civil em obras públicas e privadas. Autora de publicações e de projetos com foco em sustentabilidade, participante de mostras de decoração, palestrante em eventos com tema sustentabilidade na construção e na moda, diretora da plataforma Arquitetura Ecológica.

Palestrante

COLETIVO ARQUITETURA ECOLÓGICA

LILIANA RUBIO é engenheira química, Mestre em gerência de projetos, MBA em gerência de negócios, MBA em gerência e execução de projetos de inovação e especialista em polímeros. Com 23 anos de experiência em gestão de novos negócios e produtos na indústria. Conferencista internacional sobre sustentabilidade e inovação em eventos na América Latina e Estados Unidos. Diretora na P.M.O Polymer Business Intelligence.

Palestrante

COLETIVO COMUNS

MARINA FRÚGOLI é curadora formada em arquitetura e urbanismo pela FAU-USP, com formação complementar na Amsterdam Academy of Architecture. Realiza pesquisas e exposições que transitam no diálogo entre arquitetura, arte, corpo e cidade. É co-fundadora do Comuns. Já colaborou com instituições como Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Sesc-SP, Intermuseus, Projeto Marieta e Pinacoteca de São Bernardo do Campo.

Palestrante

COLETIVO COMUNS

MARCELLA ARRUDA é artista transdisciplinar, arquiteta e urbanista pela Escola da Cidade (2017), tem diploma em Interactive Media Design na The Royal Academy of Arts de Den Haag (NL). Trabalha na intersecção de arte, arquitetura, ecologia, política e pedagogia para abrir possibilidades de outros modos de habitar. É diretora de projetos do Instituto A Cidade Precisa de Você e co-fundadora do Comuns.

18h

MESA 5 – Tombamento: entre a estética e a memória

Este painel abordará perspectivas sobre o processo de tombamento, apresentando ainda o processo técnico para o tombamento do CCSP, na esfera municipal. Pretende ainda abordar os mecanismos de manutenção de bens tombados e como a ideia de proteção se incorpora na definição de espaços a serem tombados, que historicamente transitam entre a importância da estética e memória de um patrimônio, em um trabalho conjunto entre a arquitetura e a antropologia.

Mediadora 

RAQUEL SCHENKMAN, arquiteta e urbanista e mestre pela FAU-USP, atualmente é conselheira suplente do CAUSP e atua há mais de dez anos junto ao Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo, onde foi diretora entre 2019 e 2020, tendo presidido o Conpresp. Foi responsável pela instrução de tombamento do bairro da Liberdade, que resultou no tombamento do CCSP.

Palestrante

NIVALDO ANDRADE JÚNIOR, arquiteto e urbanista, mestre e doutor em arquitetura e urbanismo pela UFBA, instituição da qual é Professor Associado. Pesquisador do CNPq e membro do Conselho Consultivo do IPHAN e do Conselho Deliberativo do ICOMOS Brasil. Foi Presidente Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e pesquisador visitante junto à Escola de Urbanismo de Paris. Autor da coleção “Arquitetura moderna na Bahia (1947-1951)”, em cinco volumes, recebeu o Prêmio ANPARQ 2020.

Palestrante

WALTER PIRES, possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (1979) e Mestrado (2003) na FAU-USP. Integra o DPH (Depto. do Patrimônio Histórico) desde 1991. Foi seu diretor e vice-presidente do Conpresp, entre 2005 e 2013. Foi assessor da direção da Divisão de Pesquisas do Centro Cultural São Paulo (1995 a 1996). No Condephaat atuou como arquiteto do Serviço Técnico (1982 a 1991) e conselheiro (2016 a 2017). No IPHAN/SP participou da comissão do Prêmio Rodrigo M. F. Andrade (2015 a 2021).

19h30

ENCERRAMENTO com Catharine Otondo, presidente do CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo)

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo