Mostra: Nossa imagem é nossa defesa

13 a 15/05 

  • Na Sala Lima Barreto 
  • Classificação Indicativa: livre
  • Grátis
  • Os ingressos estarão disponíveis na bilheteria uma hora antes da programação. Para retirá-los, será necessário apresentar o comprovante de vacinação da Covid-19, com no mínimo duas doses.

13 a 29/05

A mostra de cinema “Nossa imagem é nossa defesa” traz filmes para povoar nosso imaginário e revelar a presença do povo Yanomami na sua força de vida e na dos pajés que cantam para a sustentação do céu. Com curadoria de Sergio Yanomami e apresentação da Arte in Vitro Filmes, a mostra traz um conjunto de filmes realizados pelo Núcleo Audiovisual Xapono (NAX) da região do rio Marauiá, no Amazonas, além de produções de aliados não-indígenas. 

Esses filmes que o pessoal do Núcleo Audiovisual Xapono fez, e agora estão na internet, é para mostrar a todas as pessoas, napë [brancos] e indígenas, do Brasil e de todos os países. É com esses filmes que lutamos também, para defender a nossa cultura, o nosso território e para mostrar a nossa realidade. Porque se a gente não mostrar, como vocês vão acreditar? Por isso temos que mostrar, para os napë acreditarem que nós existimos mesmo, para eles saberem como estamos vivendo e o que está acontecendo com a nossa floresta. Quando os napë acreditarem, eles vão pensar: “ah então é assim, tem Yanomami mesmo e eles vivem assim, e é isso que está acontecendo no território deles”.

Sobre os filmes que os napë estão fazendo sobre nós Yanomami, aqueles que são nossos parceiros, se eles não fizerem algo errado com as nossas imagens, eu acho bom. Alguns napë que são nossos amigos, às vezes chegam para filmar nas câmeras deles quando tem assembleia, encontro, ou para denunciar o que estamos sofrendo. Depois que eles filmam, eles levam nossas imagens e nossas falas para onde eles moram, para editar e depois mostrar para todos. Quando eles mostram esses filmes, sobre a nossa cultura Yanomami e nossa realidade, é para nos defender também. Só que eu tenho uma grande preocupação quando outros napë colocam essas imagens na internet sem nos avisar. Isso é um problema muito grande. Se os nossos parceiros querem ajudar, eles têm que mostrar a nossa existência também, mas com responsabilidade. 

Essa mostra de filmes é para nossa defesa. Esses filmes que os Yanomami e nossos parceiros napë fizeram, é para vocês ouvirem as nossas falas e verem a nossa realidade. É para vocês acreditarem e ajudarem a defender nosso povo e nossa floresta.  Para aqueles que não nos conhecem ainda ouvirem e verem como que os Yanomami querem viver, como nós queremos viver tranquilos na nossa própria terra. Por isso eu agradeço muito os nossos parceiros que nos ajudam a ensinar a filmar e a mostrar nossos filmes, nossa realidade, para todos. Agora nós já aprendemos a filmar, e isso é muito importante! – Sérgio Yanomami

PROGRAMAÇÃO

13/05

17h00 – Como fotografei os Yanomami

19h00 – Programa 1 – NAX – Núcleo Audiovisual Xapono 

Filmes: Associação Kurikama a rë yawëanowehei Komixiwë a xapono ha – Criação da Associação Kurikama Yanomami na comunidade Komixiwë; Kurikama no uhutipi rë wawëmanowehei – Instalação da placa da Kurikama; Kõkamotima Kurikama xapono Bicho-açu a ha – 3ª Assembleia Geral da Associação Kurikama e Hekura. 

Total: 65min

14/05

15h00 – Urihi Haromatipë – Curadores da terra-floresta – 15h

17h00 – Gyuri

19h00 – Como Fotografei os Yanomami

15/05

15h00 – Programa 2 – NAX – Núcleo Audiovisual Xapono

Filmes: Karemona; Makoromi: o espírito cuja testa quebrava até castanhas; Ropehaonɨ raxa kɨ rëkaɨ, raxa hi kɨ riya ha hãrɨkamanɨ – Roberval apanhando pupunha para torrar farinha; Yɨpɨmouwei të rë yaitaprohërɨɨwei naha – As mudanças do ritual da primeira menstruação.

Total: 51min

17h30 – Urihi Haromatipë – Curadores da terra-floresta

19h00 – Gyuri

SINOPSES

Como Fotografei os Yanomami, de Otavio Cury

Brasil, 2018, 72 min, Livre, DCP.

Este é um retrato aprofundado dos profissionais de saúde que trabalham na região indígena Yanomami. São enfermeiros e técnicos em saúde que dedicam suas vidas a tratar os habitantes dos pequenos abrigos isolados nos confins da floresta, onde esses profissionais de saúde formaram seus polos de atuação.

Gyuri, de Mariana Lacerda

Brasil, 2019, 87 min, Livre, DCP.

Uma linha geopolítica improvável entre a pequena aldeia húngara de Nagyvárad e a Terra Indígena Yanomami, na Amazônia brasileira. Judia, sobrevivente da Segunda Guerra, Claudia Andujar exilou-se no Brasil e dedicou a vida à salvaguarda dos povos yanomami. Seu valioso acervo, sua militância incansável, seu passado de guerra e a vulnerabilidade atual dos indígenas são revistos por meio de diálogos de Andujar com o xamã Davi Kopenawa e o ativista Carlo Zacquini, com a interlocução do filósofo húngaro Peter Pál Pelbart.

Urihi Haromatipë – Curadores da terra-floresta, de Morzaniel Ɨramari Yanomami

Brasil, 2014, 60 min, Livre, DCP.

Os trovões estão avisando: “a Terra está doente”. Para curá-la, Davi Kopenawa reuniu os xamãs Yanomami de diversas regiões. Com a ajuda do alimento dos espíritos, o rapé yakoana, eles vão tratar os males provocados pelas cidades e doenças dos brancos.

SINOPSES FILMES DO NÚCLEO AUDIOVISUAL XAPONO – NAX 

Associação Kurikama a rë yawëanowehei Komixiwë a xapono ha – Criação da Associação Kurikama Yanomami na comunidade Komixiwë, de Roni Raitateri Yanomami

2017, 17min, cor.

Direção: Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Kurikama no uhutipi rë wawëmanowehei – Instalação da placa da Kurikama, de Tomás Iximawëteri Yanomami

2017, 7 min, cor.

Câmera: Ricardo Yanomami

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Kõkamotima Kurikama xapono Bicho-açu a ha – 3a Assembleia Geral da Associação Kurikama, de Roni Raitateri Yanomami

2017, 16 min, cor.

Câmera: Romeu Iximawëteri Yanomami e Ricardo Amaroko

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Hekura, de Romeu Iximawëteri Yanomami

2018, 25 min, cor.

Câmera: Ricardo Amaroko

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Karemona, de Romeu Iximawëteri Yanomami

2017, 13 min, cor.

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Makoromi: o espírito cuja testa quebrava até castanhas, de Fábio Iximawëteri, Marielza Pukimapɨwëteri Yanomami, Ribamar Ironasiteri, Ricardo Amaroko, Ricardo Yanomami, Rita Ironasiteri, Romeu Iximawëteri Yanomami, Roni Raitateri Yanomami, Silvano Jacinto Yanomami, Tomás Iximawëteri Yanomami

2018, 23 min, cor.

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Ropehaonɨ raxa kɨ rëkaɨ, raxa hi kɨ riya ha hãrɨkamanɨ – Roberval apanhando pupunha para torrar farinha, de Ricardo Yanomami e Silvano Jacinto Yanomami

2018, 9 min, cor.

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Yɨpɨmouwei të rë yaitaprohërɨɨwei naha – As mudanças do ritual da primeira menstruação, de Marielza Pukimapɨwëteri Yanomami e Tomás Iximawëteri Yanomami

2017, 6 min, cor.

Produção: Núcleo Audiovisual Xapono – NAX

Ficha técnica

Curadoria: Sérgio Yanomami | Produção Executiva: Arte in Vitro Filmes, Roney Freitas | Desenhos: Sérgio Yanomami | Assistência de curadoria: Paula Berbert e Daniel Jabra.

 

 

 

A programação acontecerá de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades sanitárias em prevenção à propagação do vírus da Covid-19, sendo obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação (físico ou digital) com no mínimo duas doses.

icone-compr-de-vacinacao

É obrigatório comprovante de vacinação.

O álcool gel estará disponível no local.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo