Mostra CCSPLAY: “Esse é o momento certo para se apaixonar?”

16/04 a 15/05 

  • No CCSPLAY 
  • Verifique a classificação indicativa de cada filme

O romance contemporâneo, um subgênero do romance, questiona muitas de nossas ideias sobre paixão e relacionamentos, assumindo um compromisso com o amor possível, ao invés do definitivo. O indivíduo toma a frente da relação comprometendo o ideal de romance. São filmes que amanhecem com os protagonistas após o “felizes para sempre”, e mostram como é acordar todos os dias ao lado de alguém.  

Em abril, o CCSPLAY traz uma seleção de filmes que refutam o imaginário de uma relação romântica e nos mostram as possibilidades do amor por uma perspectiva mais realista dos relacionamentos. 

FILMES

Certo Agora, Errado Antes, de Hong Sang-soo.

Jigeumeun Matgo Geuttaeneun Teullida, Coreia do Sul, 2015, 121 min, 12 anos.

Um diretor de cinema chega à cidade de Suwon, na Coreia do Sul, para promover um filme seu. Durante um passeio, ele conhece uma artista plástica. Ela o leva ao seu estúdio, depois jantam, bebem com os amigos dela, e então começa a crescer certa intimidade e interesse mútuo, até a moça lhe fazer uma pergunta crucial. Na segunda parte do filme, uma história similar de “encontro e diversão” se desenrola, nos mesmos lugares por onde passou o primeiro casal, porém uma nova revelação irá acontecer.

Amor e Dor, de Lou Ye.

Love and Bruises, China/França, 2011, 105 min, 18 anos.

A chinesa Hua acaba de chegar a Paris. Em terras desconhecidas, ela conhece Matthieu, um jovem de temperamento difícil. Ao tentar deixá-lo, Hua descobrirá que seu amor por ele é muito mais forte do que ela imagina.

O dia Mais feliz da vida de Ollie Maki, de Juho Kuosmanen.

Hymyilevä Mies, Finlândia, 2015, 95 min, 16 anos.

Finlândia, 1962. O boxeador Olli Mäki compete pelo título mundial de peso pena. Muito talentoso e igualmente modesto, a vida na cidade pequena de Olli se transforma quando é levado ao estrelato nacional e subitamente considerado um símbolo de seu país. Só há um problema: Olli acaba de se apaixonar.

Hiroshima Meu Amor, de Alain Resnais.

Hiroshima Mon Amour, França / Japão, 1959, 90 min, 16 anos.

Uma atriz francesa e um arquiteto japonês começam um breve e intenso caso amoroso na Hiroshima do pós-guerra. A intensa relação dos dois os impele a exorcizar suas próprias e dolorosas memórias de amor e sofrimento. 

 

 

 

 

A programação acontecerá de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades sanitárias em prevenção à propagação do vírus da Covid-19, sendo obrigatório a apresentação do passaporte vacinal com no mínimo duas doses.

icone-compr-de-vacinacao

É obrigatório comprovante de vacinação.

O álcool gel estará disponível no local.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo