Lançamento do documentário “Mulheres do Ayê: saberes ancestrais através das ervas”, com Coletivo Onilé

12/03

  • Sábado, às 14h
  • Na Sala Lima Barreto 
  • Classificação Indicativa: livre
  • Grátis
  • Os ingressos estarão disponíveis na bilheteria uma hora antes da programação. Para retirá-los, será necessário apresentar o comprovante de vacinação da Covid-19, com no mínimo duas doses. 

O Centro Cultural São Paulo recebe o Coletivo Onilé para o lançamento do documentário “Mulheres do Ayê: saberes ancestrais através das ervas”. Além da exibição do documentário haverá uma um bate-papo com Romária Sampaio (Receitas da Vó) e Ana Paula Evangelista (Marcha das Mulheres Negras SP), além da distribuição da Cartilha de Autocuidado e Manipulação de Ervas e um coquetel com Dendêngo. 

Mulheres do Ayê é um documentário produzido pelo coletivo Onilé que faz parte do projeto Te Cuido Preta, fomentado pelo Programa VAI 2020, da Secretaria Municipal da Cultura de SP. O filme conta a vivência de 05 mulheres pretas e afro indígenas residentes da zona leste de São Paulo, e em que dimensões acontecem suas relações com as plantas e ervas no autocuidado do corpo. Benedita (Cidade Tiradentes), Iracema e Mauralis (São Mateus), Iyá Cristina D’Osun (Itaquera), Elena (Guaianazes) são as mulheres deste Ayê que contam em primeira pessoa suas histórias, resistem e se fortalecem na troca de energia com as ervas pelos saberes ancestrais que receberam em suas trajetórias e repassam em tentativa de continuidade e construção de afeto.

Sobre o Coletivo Onilé

O Coletivo Onilé é uma junção de pessoas pretas, LGBTQIA+ e periféricas que pauta as potências e produções pretas através da elaboração de projetos culturais com incidência política e territorial pela cidade de São Paulo. Se apropriando de linguagens artísticas como o audiovisual enquanto ferramenta de comunicação e luta, visando participar do processo de desconstrução do racismo estrutural que violenta corpos historicamente e evidenciar as construções coletivas potentes no campo de disputa de narrativas e protagonismo preto.

Sobre as participantes

Ana Paula Evangelista (Marcha das Mulheres Negras SP): Mulher preta; periférica; pedagoga; mãe solo; articuladora de projetos; palestrante; formada em relações étnico-raciais. Atua como arte educadora e contadora de histórias, integrante do bloco afro Ilú Obá de Mín, da Marcha das Mulheres Negras de São Paulo; Coordenou a l Marcha Virtual Tereza de Benguela e representou no ano de 2021 a MMNSP na Coalizão Negra Por Direitos e atua também no Coletivo Império de Candaces. Tem uma sólida bagagem em ações contra o racismo, educação para as relações étnicas e na articulação de eventos nos movimentos negros e periféricos.

Romária Sampaio (Receitas da Vó): Romária Sampaio, neta e filha de uma linhagem baiana, chegou no Grajaú (extremo da zona sul de SP) aos quatro anos de idade. Cresceu à margem da represa Bellings, entre becos e vielas se criou, se descobriu, se reinventou. As expressões vivenciadas e visualizadas decorrentes da desigualdade social, levou-a para o Serviço Social, como primeira formação acadêmica e no decorrer da atuação profissional visualizou
outras possibilidades de intervenção social e cultural no seu território. A partir de uma vivência familiar com práticas de benzimento e medicina popular, sentiu o pulsar de continuar esse legado e então, deu início a jornada de estudos e vivências com quilombolas, curandeiros, raízeros, benzedeiras em vários estados brasileiros (RJ, GO, BA, PE). 

Em Março de 2020, concluiu a pós graduação em Fitoterapia Brasileira e Fitoterapia Chinesa. Desde 2016, facilita encontros no âmbito de trocas sobre saberes medicinais, com o objetivo de fomentar e viabilizar o saber popular na periferia, para ampliação do cuidado em saúde através das plantas medicinais.

Carla Francine (Dendêngo): A Dendêngo oferece comida brasileira e todas suas influências indígenas e africanas, feitas por mãos femininas negras com muito carinho e afeto.

 

 

 

A programação acontecerá de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades sanitárias em prevenção à propagação do vírus da Covid-19, sendo obrigatório o uso de máscara e a apresentação do passaporte vacinal com no mínimo duas doses.

icone-compr-de-vacinacao

É obrigatório comprovante de vacinação.

É obrigatório o uso de máscara.

O álcool gel estará disponível no local.

Respeitar distanciamento 1,5m a 2m.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo