Festival Conexão Linguagens

11, 12 e 13/03

  • Sexta-feira, sábado e domingo
  • Classificação Indicativa: livre
  • Grátis
  • Os ingressos estarão disponíveis na bilheteria uma hora antes da programação. Para retirá-los, será necessário apresentar o comprovante de vacinação da Covid-19, com no mínimo duas doses. 

O Centro Cultural São Paulo recebe uma série de atividades que fazem parte do Festival Conexão Linguagens. Idealizado por Pri Mastro, pretende traçar diálogos e reflexões junto a grupos artísticos e culturais da periferia de São Paulo. Confira abaixo a programação completa! 

Desfile LOYAL – Propagação do Novo Poder

  • 11/03
  • Sexta-feira, às 18h30
  • Na Sala Adoniran Barbosa

LOYAL é um movimento de moda periférica que tem como principal objetivo empoderar as pessoas, mostrando que elas não só podem, como devem ser leais a si mesmas em estilo e originalidade estética. Há cinco anos o movimento vem usando a quebrada como uma grande passarela, a partir de criações e produções de multi artistas periféricos. Em 2022, em comemoração aos cinco anos, o próximo desfile acontece no CCSP, e traz toda essa jornada para uma grande ocupação nesse espaço cultural tão importante. “Propagação do Novo Poder” é o discurso da vez! 

Ficha técnica 

Convidadas: Julia Costa Matt, Eduardo da Silva, Harrisson Ramos, Alex Jardim, Eunice Santiago, Guilherme Oliveira, Bruno de Marselha, Diego Jesus Silva, Denis Santos Silva, Jonatas do Carmo, Tiago Luan, Lucas Moura, Set Of Beats | Produção: Jaqueline Leal, Amira Suzan, Iuri Fernandes, Theodora Dias, Gustavo Sousa, João Victor, João Paulo Batista, Rafael Fish*, Jaqueline Pereira, Brunna Santos, Felipe Dias, Deborah França, Willian Santos, Dener Vinicius, Tom Moura, Lavínea Soares, Jeferson Cardone Harri, Luana  Santos e Renilton Lima.

Sapopemba 2072: Documentário + Bate Papo

  • 11/03
  • Sexta-feira, às 19h 
  • Na Sala Lima Barreto

Sapopemba 2072 é um vídeo arte produzido pelo coletivo Periferia Preta em parceria com a Zalika Produções. A produção de aproximadamente 40 minutos conta parte da história de Sapopemba, território que tem vivido a pandemia de maneira mais aguda, sendo o distrito onde mais houve mortes em decorrência da Covid-19. O coletivo Periferia Preta busca com a obra dar um salto para fora deste tempo de mortes e refletir junto com artistas de seu território sobre o que esperam para o futuro do lugar onde vivem, como soprar vida onde hoje mora o abandono. É a partir de narrativas divididas que os convidados sonharão horizontes e contarão do poder que tem a coletivização, as estratégias de sobrevivência, os cuidados e redes criados para construir a história de um chão. Logo após a exibição do vídeo será realizado um bate papo com integrantes do coletivos e convidados.

Ficha técnica

Periferia Preta | Produção: Cássia Caneco, Veroni Vieira, Nana Prudêncio e Juliana Oliveira | Convidados: Carolina Iara e Juliana Cardoso.

Sarau Baobá

  • 12/03
  • Sábado, às 16h30
  • Na Sala Adoniran Barbosa

O Sarau Baobá é um evento cultural que tem como objetivo abrir espaço de fala a diversidade, por meio de intervenções artísticas expressadas em formato de poesia, música, dança, teatro, etc. Além de entretenimento, esse movimento tem um papel fundamental: no fortalecimento de artistas independentes e na formação de novos artistas, possibilitando um passo inicial para começar. De maneira geral, o Sarau é um processo de cura e aprendizado, onde o público se conecta com o artista e aprende por meio da arte e cultura.

Ficha técnica

Sarau Baobá | Produção: BOMANI, felipefeehr, Indaiá Queen, Inesplicavel, King Abraba, Monna D e Newt | Convidados: All Ice, ALLFAVELA, Alquimista, Azul Marine, CIA de dança: Novo Corpo, Dimak, Djohn, Doolunay, Kauê Tavano, Kimani, Leo Aguiar, Lil Amaral, Lucao, Lucas Mattos, Lucimeire Monteiro, Maitê, Matriarcak, Máximo, Midiam, NB, Nicole, Paulo Poeta, Poeta CJ, Rapha Roots, Renata Ravok, Sabrina, SK Black e Taya.

Performance Corpo Industrial, com Não Me Cabe

  • 12/03
  • Sábado, às 18h
  • Na Sala de Vidro

Corpo Industrial é uma performance teatral composta por Lucans, Pimzera e Sollar. Criada a partir da construção e desconstrução, aborda questões sobre o corpo artístico e seu processo criativo dentro da indústria da moda, usando uma linguagem poética e política como forma de expressão.

Ficha técnica 

Não Me Cabe | Produção: Guilherme Santos, Lucas Soares Sollar, Karoline Gonçalves e Adla Nascimento.

Exposição de Arte – Mini Galeria Urbana

  • Abertura 13/03
  • Domingo, às 14h
  • Disponível até 27/03
  • Terça a sexta, das 10h às 20h e sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h
  • Na Sala Expositiva – Perna da 23 do Piso Flávio de Carvalho

Com o objetivo de questionar o tamanho da arte nos dias atuais, trazendo essa discussão filosófica ao pé da letra, no sistema métrico, a 1Quarto Estúdio concebeu o projeto Mini Galeria Urbana, e convidou para a primeira edição a artista 011Vivência e os artistas Luno, CaCo, e Jotta para mesclar artes plásticas em um formato inédito de intervenção urbana, unindo diorama, artes visuais, e audiovisual. Brincando com os contrapontos entre a sutileza de enxergar a beleza nos detalhes, dentro de uma sociedade onde somos pressionados a competir por grandes espaços, e expondo pequenas obras representando a falta de importância da cultura no nosso país. Cada artista terá seu próprio casco, e uma parte do Mini Documentário que também estará em exibição. 

Ficha técnica

1Quarto Estúdio | Produção: Harry, Reali, Uolfe, Carol e Mikael | Artistas convidados: 011Vivência, CaCo, Luno e Jotta.

Relatos sobre a retomada indígena com O Não-Lugar

  • Abertura 13/03
  • Domingo, às 16h
  • Disponível até 27/03
  • Todos os dias, das 10h às 22h
  • No Foyer

O Coletivo O Não-Lugar em sua intervenção artística, exibirá uma sequência de entrevistas em formato de longa-metragem, composto por diversos relatos de narrativas indígenas em retomadas de sua cultura e pertencimento ancestral, com falas que foram compartilhadas no decorrer dos últimos meses em um projeto paralelo do coletivo. Serão exibidos com formato de público livre, como uma intervenção no espaço de entrada do CCSP, para demarcar a presença indígena no primeiro espaço que o público se depara ao entrar no equipamento, que também é território indígena. A ideia é que a exposição aconteça de forma a ser assistida organicamente, sem a rigidez de uma sala de cinema, para serem absorvidos por quem passar no espaço-tempo em que eles estiverem acontecendo.

Ficha técnica

O Não-Lugar

 

 

 

A programação acontecerá de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades sanitárias em prevenção à propagação do vírus da Covid-19, sendo obrigatório o uso de máscara e a apresentação do comprovante de vacinação (físico ou digital) com no mínimo duas doses.

icone-compr-de-vacinacao

É obrigatório comprovante de vacinação.

É obrigatório o uso de máscara.

O álcool gel estará disponível no local.

Respeitar distanciamento 1,5m a 2m.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo