Dia Nacional dos Direitos Humanos e Dia das Artes

No Brasil, comemora-se duas datas em 12 de agosto: o Dia Nacional dos Direitos Humanos e o Dia das Artes. A coincidência nos leva a pensar justamente sobre a relação complementar entre o acesso às artes e os Direitos Humanos. Por isso, o CCSP indica o projeto direitoshumanos70anos.com, que uniu a Declaração Universal às artes plásticas.

Como nos lembra Ferreira Gullar, a arte existe porque a vida não basta. E não basta mesmo: fruto da nossa relação com o mundo, a criação artística acompanha a humanidade desde os tempos mais remotos. Seja produzindo ou consumindo, é fato que o ser humano recorre de forma tão natural e frequente a esse mergulho profundo e reflexivo que a experiência artística oferece (só pensar na fotografia, no cinema, na música e na literatura que a gente cultiva no nosso cotidiano).

A experiência artística tem um traço humanizador primordial, na medida em que une diferentes épocas, pessoas e valores na mesma dimensão de contemplação que nos convida a repensar nossa realidade e aumentar um tanto da nossa visão de mundo. E é justamente por isso que o direito irrestrito à fruição das artes está assegurado pelo artigo 27 da Declaração Universal dos Direitos Humanos: a experiência com a produção humana em diferentes obras, linguagens e visões de mundo nos ensina tanto sobre outras realidades quanto sobre a nossa própria humanidade.

Pensar nas artes como um direito humano generalizado e irrestrito é pensar num mundo em que todas/os são bem-vindas/os para conhecer a criação humana e ter espaço e segurança para contribuir a partir da sua própria realidade. Pensar na democratização de acesso à arte e aos direitos humanos independentemente de raça, sexo, nacionalidade, ou qualquer outra condição é hoje essencial para que possamos retomar a sensibilidade e caminhar para uma realidade menos embarreirada. 

Pensando nessa urgente reflexão, o CCSP relembra o direitoshumanos70anos.com, do coletivo Mutirão Recife, que em 2018 reuniu interpretações visuais de 30 artistas para fazer uma releitura imagética em comemoração aos 70 anos da Declaração. O resultado está disponível no site e no Instagram do Coletivo, e pode ser uma ferramenta poderosa para aprofundar o significado desse dia 12.

>> clique para conhecer o site do projeto. 

>> clique para conhecer o instagram do projeto direitoshumanos70anos.com.

*esse texto se baseou no artigo O Direito à Literatura, de Antonio Candido. Clique para ver um vídeo sobre o artigo.

Texto: Isabela Pretti

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo