#LivroCCSP: biblioteca antirracista em domínio público

Diante das manifestações antirracistas e do Movimento Vidas Negras Importam (Black Lives Matter), as Bibliotecas do CCSP pensam no papel do livro e da leitura como oposição ativa à discriminação racial. Não por acaso, é sobretudo por meio da escrita que a luta identitária negra foi e ainda é travada: ler escritoras e escritores negros é uma forma antirracista de (re)existir.

Destacamos hoje nomes emblemáticos que simbolizam a luta antirracista brasileira e que estão em domínio público, não trazendo apenas aqueles lembrados por estarem na linha de frente do combate, mas também personalidades cuja própria existência em círculos literários representa resistência ao contexto.

Auta de Souza

A literatura de Auta de Souza (1876-1901), intelectual e poeta, é considerada resistência à hegemonia branca na literatura, já que ser mulher e negra no Brasil oitocentista era um marcador de subjugação social e política. Suas poesias líricas versam sobre o amor, a felicidade e a morte, e algumas estão disponíveis para leitura:
>> A Eugênia
>> Ao Pé do Túmulo
>> As Mãos de Clarisse

Luís Gama

Luís Gama (1830-1882) é uma personalidade icônica para a negritude brasileira. Filho de mãe africana, aos dez anos foi vendido como escravo por seu pai. Mesmo nesse contexto, conseguiu aprender a ler e a escrever e tornou-se um dos jornalistas mais influentes da época – exercendo uma militância que lhe deu o título de Patrono da Abolição da Escravidão no Brasil. Seu livro de poemas Primeiras Trovas Burlescas de Getulino está disponível online para leitura:
>> clique para acessar o livro

Lima Barreto

Lima Barreto (1876-1901) foi mais que um escritor-observador da sociedade em que viveu. Deu à literatura um cunho confessional e refletiu ativamente sobre a população oprimida, quer fossem negros, mestiços, pobres, desvalidos ou loucos; fez ainda um retrato crítico da política republicana brasileira. 

Machado de Assis

Machado de Assis (1839-1908) é considerado o pai do realismo brasileiro. Praticou quase todos os gêneros literários em sua obra, e estabilizou seu estilo de escrita no tom polido e irônico. Esse grande escritor teve sua imagem esbranquiçada por séculos dentro da literatura brasileira, e não poderia faltar em nossa biblioteca antirracista. Separamos algumas das suas obras a seguir:
>> Dom Casmurro
>> Esaú e Jacó
>> Helena

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo